Agência digital especializada em e-commerce – Desenvolvimento de layout pra E-commerce, Tray Commerce,Fbits, MercadoShops, Sites, Design Gráfico. Eleita a agência com melhor atendimento.

Telefonligue agora!

(11) 4115-8384

6 lições para aprender com os maiores e-commerces do Brasil

maiores e-commerces do brasil
Maiores e-commerces do brasil

Maiores e-commerces do brasil, como se tornar um gigante nos tempos atuais

Maiores e-commerces do brasil. O e-commerce é uma modalidade de comércio virtual já familiar para grande parte dos consumidores. Fato que confirma por que ele vem crescendo cada vez mais no Brasil e mundialmente.

E quais seriam os demais motivos que levaram empreendedores e grandes empresas a apostarem no mundo virtual? Maior facilidade de gestão, redução de custos, melhor margem de lucro, flexibilidade para as estratégias comerciais, novas tecnologias e proximidade com os clientes são alguns deles.

Porém, até descobrirem tais vantagens e os demais potenciais desse mercado, muitos e-commerces precisaram aprender duras lições de administração para, só depois, prosperarem. E sabe o que é o melhor dessa história? Seu negócio não precisa viver os mesmos desafios para ter sucesso, basta aprender com as decisões que eles tomaram.

Quer saber o que os maiores e-commerces do Brasil aprenderam em suas jornadas de sucesso? Fizemos uma lista imperdível. Confira!

Maiores e-commerces do Brasil

Entre os maiores e-commerces, não podemos deixar de comentar sobre o trio: B2W, Americanas, Submarino e Shoptime. Este que é um dos mais conhecidos. Além da estratégia de incorporar outros comércios virtuais, a internacionalização de suas vendas também foi outra ação que rendeu resultados.

Também no topo está a Magazine Luiza, que se destacou pelo investimento no atendimento inovador de qualidade da robô Luiza. Já no Privalia, com foco na venda por tempo determinado de marcas exclusivas, o grande diferencial foi o forte apelo para o design de seu ambiente virtual de compras e estratégias que privilegiavam a experiência de uso por smartphones.

Fecham essa lista, ainda, outros gigantes, como o Netshoes, que, hoje, tem um portfólio de produtos imenso. O Grupo Herval, a Dell Computadores, a Máquina de Vendas e outros mais.

Cada um prosperou de forma diferente. Mas todos tiveram, em seus crescimentos, a oportunidade de experimentar estratégias em um mercado, até então, quase inexplorado. Na atualidade, os empreendedores que estão de olho no e-commerce podem aprender com as dicas desses grandes negócios.

Dicas e cases de sucesso no comércio digital

Muitos empresários que estão planejando seus e-commerces ou que já têm uma clientela em crescimento sonham com negócios milionários. Mas, para chegar até lá, é preciso ter muito esforço e fazer decisões acertadas. Aí vão algumas dicas de quem já testou e aprovou algumas estratégias de sucesso.

1. Ofereça atendimento ágil

A dúvida de um cliente pode ser a única coisa que o separa da efetivação da compra. Assim sendo, se ele não for respondido a tempo, a consequência mais provável é que o e-commerce perca a chance de fidelizá-lo.

Essa consequência desastrosa não aconteceria apenas porque o cliente não sanou sua dúvida. Mas também, porque teria sido conduzido para um atendimento ruim, ou, até mesmo, inexistente.

O atendimento ágil é essencial para o sucesso do e-commerce. Por isso, considere criar uma área para perguntas frequentes, oferecer um chat online ou ter um telefone de contato ativo. E crie internamente metas que assegurem tempo máximo de resposta e nível de satisfação dos clientes, por exemplo.

2. Invista em uma boa logística

Um dos grandes diferenciais que um e-commerce pode oferecer é um sistema logístico com qualidade superior aos seus concorrentes. Esse é um ponto sensível para a compra dos clientes, ser o melhor é uma das garantias mais certas para sua fidelização.

A boa logística deve começar na consulta do estoque dos itens. Logo depois, no seu bloqueio no caso de compra e, invariavelmente, na escolha de transportadores confiáveis para finalizar o processo com sucesso.

Dar opções do nível de serviço e tempo de entrega para o cliente também pode ser um bom negócio. Assim, ficará a critério dele escolher entre pagar um envio mais caro ou receber em um tempo maior.

3. Conheça detalhes sobre seu cliente

Gigante com valor de marca de aproximadamente US$ 637 milhões, a Netshoes está sempre atenta às necessidades e interesses de seus diferentes públicos. Talvez o mais antigo deles, composto pelos amantes de esportes, por exemplo, seja atraído por campanhas e produtos que remetem a diferentes atividades físicas.

Com o slogan “Netshoes. Conecta você ao esporte”, já patrocinou times de futebol e, mais recentemente, equipes de jogos eletrônicos. É uma comunicação direta com seu público e uma forma eficiente de personalizar o atendimento e o mix de produtos.

4. Tenha um portfólio de produtos abrangente

Ao mencionar o mix de produtos, não dá para deixar de falar sobre a importância de um portfólio de produtos abrangente. Claro que é preciso respeitar o nicho de mercado e ter um item de venda principal. Mas aumentar o leque de opções de compra é essencial para o sucesso de um e-commerce.

Os maiores e-commerces do brasil especializados em goiaba podem oferecer goiabada, ketchup à base de goiaba, geleia da fruta com diferentes combinações, chutneys, bolos, kits para datas especiais e até vestuários com o tema, por exemplo. E engana-se quem pensa que criar uma variação de produtos, nesse caso, é um grande desafio.

Para aqueles que não têm um produto carro-chefe, a diversificação é ainda mais importante e complexa, afinal de contas, sua oferta de itens é comparada à de outros e-commerces.

5. Ofereça a opção de retirada na loja

Outra tendência que já foi identificada pelos grandes e-commerces é que a comodidade de comprar de onde estiver é muito boa, mas pode ser prejudicada pelo fato de não ter o produto imediatamente depois.

Por isso, oferecer ao cliente a opção de retirar na loja é uma forma de colocar a decisão nas mãos dele, literalmente. Ele pode usufruir da experiência de compra online, das condições de pagamento e demais características, mas retirar seu produto na loja para obtê-lo mais rapidamente.

6. Considere a experiência de uso do e-commerce

Um layout agradável e intuitivo, fotos de qualidade dos produtos, segurança para as transações de cartões de crédito e outros elementos da experiência de uso do e-commerce podem ser ainda melhores.

É possível inserir pequenos vídeos para descrição dos produtos, designs personalizados de acordo com o nicho de atuação e conteúdos otimizados para atrair e fazer com que mais vendas sejam convertidas. Técnicas de marketing de conteúdo e gestão de mídias sociais são algumas dessas soluções que jornalistas e publicitários especializados no ambiente digital podem atribuir aos projetos.

Essas lições ajudaram no crescimento dos maiores e-commerces do Brasil, suprindo as demandas dos compradores, equiparando e, algumas vezes, superando os benefícios oferecidos no comércio tradicional. A experiência de consumo online tornou-se única e relevante, porém, certamente, esses não foram os únicos fatores para o sucesso. Além das estratégias pontuais de cada e-commerce, a mudança de comportamento dos consumidores mostra que a sociedade, de forma geral, está cada vez mais propensa a concentrar suas compras no ambiente virtual.

Quer conhecer outros dados que atestam essa realidade? Confira aqui 12 fatos que mostram como o e-commerce está em franco crescimento no Brasil.



7 tendências do varejo on-line para 2017

ecommerce-seriedesign

O varejo on-line vem construindo um futuro promissor. Para se ter uma ideia das tendências para o próximo ano, considere que, somente no estado de São Paulo, o e-commerce registrou um faturamento real de R$ 3,4 bilhões no segundo trimestre de 2016! Esse resultado foi atingido em apenas 3 meses, em plena crise econômica e em apenas um estado da federação.Com a conquista de cada vez mais espaço no faturamento total do mercado, novos empreendimentos on-line surgem diariamente, na expectativa de abocanhar uma fatia desse bolo. Para se manter competitivo, é essencial acompanhar e implementar com rapidez as tendências que referenciam e criam linhas de base para o varejo on-line como um todo. Novas tecnologias têm contribuído para que clientes tenham experiências mais ricas, e, varejistas, melhor rentabilidade.Sendo assim, apresentamos sete tendências do varejo on-line para 2017, para você acompanhar de perto e sair na frente da concorrência. Confira!

1. Análises serão feitas em tempo real

Análise em tempo real é uma das mais pertinentes tendências para 2017, pois fornece uma visão mais profunda e de maior alcance sobre conversões e comportamento do cliente.Liderando as mudanças, há um nome que muitos varejistas on-line já conhecem: kissmetrics. Esse software permite rastrear todos os canais de vendas e fontes de conversão possíveis, seguindo-os da sua origem até o resultado final.Por meio da análise em tempo real, você poderá acompanhar cada ponto de conversão possível, porque softwares como esse (e outras soluções afim, como Mixpanel e Hubspot) irão mantê-lo informado de cada interação.Em seguida, você estará apto a usar essas informações para melhor entender o comportamento de compra dos seus clientes e realizar as alterações necessárias para gerar melhores conversões.

2. Atendimento ao cliente será live-action

Outra tendência muito discutida é a interação ao vivo com os clientes. Deve-se considerar, entretanto, que há clientes mais e menos engajados e dispostos a aprofundar o relacionamento com sua empresa e marca.Obviamente, quanto mais engajado estiver o cliente, maiores são as chances de interagirem e realizarem compras. Ou seja, sua empresa e marca se beneficiam quanto mais interativa for sua relação com o consumidor. Para engajá-lo e aproveitar essa tendência, há certas ações que você pode realizar:

  • Citar nominalmente os clientes no seu blog para incentivar a repetição de visitas e a interação;
  • Responder às suas perguntas por meio de vídeos ou blog posts;
  • Atualizá-los por e-mail ou newsletter;
  • Postar conteúdos valiosos com frequência para mantê-los informados;
  • Otimizar a interação com o cliente nos seus projetos de e-commerce;
  • Priorizar os clientes mais fiéis na destinação de ofertas especiais.

Além disso, você poderá incorporar softwares de atendimento ao cliente, como o Zendesk. Por meio dessa solução, é possível envolver ativamente os clientes ao permitir que façam perguntas em um sistema que integra chat on-line, redes sociais, chamadas telefônicas, sms, etc. Os relatórios criados permitirão à sua equipe de atendimento ao cliente responder em tempo real. Além disso, oferece suporte live-chat para qualquer cliente durante o processo de compra. Isso é muito útil para atender àquele consumidor que ainda não está acostumado ou se sinta inseguro ao realizar compras on-line.

3. O uso de dispositivos móveis atingirá novas alturas

Cada vez mais, as pessoas estão utilizando smartphones e tablets para efetuar compras on-line. Porém, todo o potencial que esse novo mercado abre, está, ainda, longe de ser explorado satisfatoriamente. Os smartphones servirão de catalisadores para levar as empresas a uma nova era, na qual todo o foco estará voltado para a satisfação do cliente. Toda empresa que queira sobreviver no século XXI deverá investir em plataformas de e-commerce que estimulem a aproximação dos consumidores.Já podemos ver, no dia a dia, os primeiros passos dessa transição, na qual a maioria das vendas – mesmo de lojas exclusivamente físicas – é processada digitalmente!

4. As compras on-line serão o novo status quo

À medida que varejistas on-line começam a perceber que os clientes gostam de visitar a loja física, mas desejam a conveniência e comodidade oferecidas pelas compras on-line, passarão a realizar ações no sentido de individualizar, cada vez mais, a experiência de compra nas suas lojas virtuais. Além do suporte interativo, os clientes poderão se comunicar diretamente com assistentes de venda para terem suas dúvidas sanadas, além de obterem respostas em tempo real para suas dúvidas e comentários.

5. Vendas serão ancoradas nas redes sociais

Soluções como o Soldsie permitirão que você obtenha valiosas referências de alta conversão a partir de redes sociais, ajudando-o a melhorar suas taxas de CTR e ROI. Outra solução que promete entrar cada vez mais no mercado brasileiro (competidor direto do Soldsie) é o Curalate. Ele permite aos usuários mensurar as conversões originadas a partir de plataformas mais visuais, como o Instagram e o Pinterest. Seus algoritmos são capazes de identificar as imagens e quantificar a presença da sua empresa nessas redes, além de poder descobrir quem são os usuários mais ativos e comparar seu desempenho com o dos concorrentes.

6. As entregas no mesmo dia da compra estabelecerão um novo padrão

Muitas empresas já perceberam que a maioria dos consumidores adoraria poder receber o produto que comprou on-line no mesmo dia, ainda que tenha que pagar um pouco mais por isso. No entanto, vá com calma: analise seu público-alvo, suas demandas e a sua atual infraestrutura de entrega. Se for possível realizar um investimento para oferecer esse diferencial, realmente valerá a pena. Caso contrário, considere realizar essa opção a longo prazo. Seja como for, certamente representará uma vantagem competitiva para sua empresa!

7. Big Data e Small Data serão tendências do varejo para estratégia

O Big Data é um conceito bastante difundido nos últimos anos e contribuiu de modo relevante para o desenvolvimento de novas maneiras de comercializar e se comunicar com clientes on-line. Isso é possível a partir da coleta de dados dos consumidores em larga escala, viabilizando a criação de uma abordagem mais eficiente. Seu foco é mais quantitativo e estabelece bases para o desenvolvimento de estratégias de alto impacto.

Já o Small Data concentra-se nos pequenos detalhes. É resultado do garimpo minucioso das informações do Big Data, com o objetivo de captar percepções dos clientes, entender como eles pensam e suas motivações intrínsecas. O foco do Small Data é qualitativo e visa obter insights que o Big Data por si só não é capaz, além de garantir às empresas que o colocarem em prática percepções únicas dos seus clientes, que nenhuma outra descobriu ainda. Tudo isso deve ser levado em consideração para que sua empresa esteja sempre à altura de clientes cada vez mais bem informados e exigentes. Ao lado dessas 7 tendências do varejo on-line, não podemos esquecer aquela que é válida para todos os anos: a única constância em tecnologia (e na vida, de modo geral) é a mudança. Então, esteja sempre preparado para ela!

Gostou de conhecer as principais tendências para 2017?

Temos muito mais para lhe oferecer, entre em contato agora!

Fonte: EZ Commerce