SEO

“O Futuro do SEO” – técnicas, estratégias e práticas

SEO

Uma das questões mais debatidas, ultimamente, sobre SEO é para onde aponta – e apontará – a bússola que norteia a otimização de sites.  A cada atualização do Google, podemos verificar que se faz necessário um novo olhar para todas as questões que circundam o SEO. Essa evolução acontece de maneira tão rápida e feroz que não seria exagero afirmar que o SEO, já não existe mais. Mas isso, não é uma coisa ruim, pelo contrário, é excelente!

Agora, mais do que nunca, chegou à vez do usuário ditar o que deve ser feito e não táticas pensadas única e exclusivamente para um melhor posicionamento nos mecanismos de busca. Em um período de constantes mudanças e dúvidas acerca do futuro do SEO, algumas tendências guiarão a nova forma de se utilizar a ferramenta.

O usuário no comando

Essa é mãe de todas as tendências.  As próximas grandes atualizações do Google devem ter como foco principal a experiência do usuário, assim como foi o Panda Update.

É cada vez mais importante criar uma relação entre o usuário e a sua marca. É muito importante ter bem fixado que a experiência do usuário dentro do seu site tem que ter mais importância do que questões técnicas de SEO, não que uma opção exclua a outra.

Conteúdo duplicado – um grande vilão a ser combatido

Eliminar por completo o conteúdo duplicado será um dos grandes desafios dos sites, principalmente dos e-commerces. Se, hoje em dia, já é  importante para a indexação e ranqueamento de um site não apresentar conteúdo duplicado, no futuro isso deve ficar ainda mais evidente.

É certo que o Google ficará mais capaz de identificá-los e deve ser ainda mais severo em suas avaliações.  Não é preciso ter o conteúdo idêntico para ser considerado duplicado pelo Google, basta ser similar.

Desvalorização das palavras-chave

As palavras-chave irão perder a sua força pouco a pouco. Elas não vão deixar de existir, apenas que sua importância será mínima. Não fará mais diferença ter essa ou aquela palavra-chave no início do title ou no h1, se preocupar com o posicionamento dela dentro das suas páginas, a taxa de dificuldade de se trabalhar com elas, etc.

Chegará o momento em que tudo que importará em relação aos textos de suas páginas será ter uma escrita clara e que vá de encontro com o que o usuário busca ao longo da página (elementos de SEO On-page importantes, como title e headings , seguirão pelo mesmo caminho).

Morte ao Link Building – Longa vida ao Link Earning

O conceito “construção de links” morrerá.  Estratégias automatizadas como link farm, troca de links, entre outras, há muito são combatidas pelo Google e, após as suas últimas atualizações, o Google ficou realmente bom em identificar e punir àqueles que já se utilizaram desses tipos de táticas. No entanto, apesar de já ter essa prática, acho que ainda vamos ver algo mais além.

Os links contextuais ganharão ainda mais relevância. Todos os links obtidos da maneira mais natural possível, que vão de encontro com a lógica do site, sem exageros e dentro do contexto do assunto terão ainda mais peso. Links em banners, patrocínios e coisas deste gênero, devem perder toda a sua relevância.

O bom link será aquele que irá agregar valor ao usuário. Toda forma de link que não for sedimentada na importância de entregar algo que possa ser do interesse direto do usuário deverá ser evitado.

Redes Sociais – um novo caminho para o SEO

Apesar de ninguém saber ao certo o quanto, redes sociais como o Google +, Facebook e Pinterest já estão tendo relevância na busca orgânica. A expectativa é que a sua relevância ainda aumente bastante. O que já podemos observar é que uma boa campanha em redes sociais favorece a geração de links, mesmo em outros tipos de mídia, além do fortalecimento da marca, gerando, por conseguinte, uma maior taxa de conversão para o site.

Fonte: ecommercenews.com.br

Curtir:

FacebookmailFacebookmail

Compartilhar:

Facebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmailFacebooktwittergoogle_pluspinterestlinkedinmail