Agência digital especializada em e-commerce – Desenvolvimento de layout pra E-commerce, Tray Commerce,Fbits, MercadoShops, Sites, Design Gráfico. Eleita a agência com melhor atendimento.

Telefonligue agora!

(11) 4115-8384

Você sabe quanto custa fazer e manter um site? Saiba o que está envolvido!

Quanto custa fazer um site
Quanto custa fazer um site

Você tem dúvidas sobre quanto custa fazer um site? Se a sua empresa não tem um site na internet, é como se ela não existisse. Trata-se de um recurso essencial para alcançar os seus clientes e consolidar a imagem da sua marca.

A melhor forma de compreender os custos de algo é entendendo todos os elementos que compõem seu conjunto. Afinal, um site não é um produto que você simplesmente compra em uma loja e mantém para sempre. Em vez disso, é algo muito mais complexo.

Saiba mais sobre esse assunto ao conferir o restante do artigo a respeito dos principais custos associados à criação e manutenção de um site.

Por que é importante manter um site?

Você provavelmente já entendeu o quanto é importante ter um site na internet. No entanto, tem ideia do valor de mantê-lo? Isso significa garantir que ele esteja sempre atualizado e conte com os recursos mais modernos para ajudá-lo a alcançar os seus objetivos.

Isso é muito mais complexo do que simplesmente colocar um site no ar. É algo que envolve a necessidade de auditorias periódicas e um radar ligado para detectar tendências e mudanças no mercado e no comportamento do público.

Se o seu site não se adapta, ele logo perde espaço para concorrentes que fazem isso. O público é muito exigente e conta com diversas opções para escolher em diversas áreas. Portanto, não menospreze a importância da manutenção do seu site na internet.

Quais os principais custos associados à criação e manutenção de um site?

Cada etapa do desenvolvimento e da manutenção de um site tem particularidades e custos associados a ela. Para que você tenha o melhor produto final, precisa tomar as decisões certas em relação às soluções e parcerias feitas durante esse processo. Isso abrange entender os custos envolvidos.

Conheça, a seguir, os custos de cada critério envolvido na criação e manutenção de um site:

Domínio

O domínio do site é o endereço que ele ocupa, geralmente terminado em “.com” ou “.com.br”. Trata-se de uma parte decisiva para a sua página, já que se refere à URL que será utilizada para acessá-la. É importante reforçar que o domínio é independente da hospedagem.

Os registros de domínio brasileiros são gerenciados pelo Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.BR) e você pode realizar o processo por meio do site Registro.br. Por exemplo, um domínio “.com.br” custa R$ 40,00 por um ano.

Hospedagem

Com o registro do domínio, o próximo passo envolve obter um serviço de hospedagem. Esse é o sistema que permitirá hospedar os seus arquivos no domínio escolhido, ou seja, colocar o seu site no ar.

Os custos com hospedagem variam dependendo da empresa escolhida e, principalmente, da capacidade de armazenamento e da banda necessária. Basicamente, se você espera lidar com alto volume de tráfego, precisará pagar a mais por isso.

Identidade visual

Para que a sua marca seja facilmente reconhecida em seu novo site, é essencial que ele traga a sua identidade visual. Isso requer um layout adequado que utilize esses elementos a favor da navegação, sem representar uma barreira para o acesso.

Isso requer os serviços de um webdesigner, além de desenvolvedores capazes de transformar o conceito visual em código a ser decifrado pelos navegadores de internet. Esse é um serviço que pode ser conduzido por profissionais freelancers ou por uma agência especializada.

Desenvolvimento

Um site na internet é um produto de programação que envolve o trabalho de desenvolvedores capazes de colocar a sua visão em páginas da web. Dependendo das suas necessidades, pode ser um trabalho mais simples ou altamente complexo.

Assim como o trabalho de layout, você pode contratar freelancers para o serviço ou contar com uma agência especializada. Ambas as soluções têm custos distintos, então, é necessário avaliar os atrativos de cada uma.

Manutenção contínua

Nunca se sabe quando algum elemento do seu site quebrará ou necessitará de ajustes após alguma atualização de protocolo da web. Esses problemas podem prejudicar os seus resultados, já que impedem que o seu público entre em contato com você ou compre seus produtos.

Isso mostra a importância de contar com um time de desenvolvimento constantemente envolvido com o seu site, realizando melhorias contínuas nele para que sempre esteja adequado para receber o tráfego do seu público.

Atualização de conteúdo

Mesmo depois de colocar o seu site no ar, isso não significa que o seu trabalho terminou. Para que a sua marca permaneça relevante no ambiente online, ela precisa estar em constante transformação. Isso requer atualizações regulares, o que necessita de material e de uma equipe capaz de fazer isso.

Um espaço como um blog, por exemplo, precisa de conteúdo com boa periodicidade. Quem percebe que o seu espaço não é atualizado com frequência dificilmente volta. Você mesmo pode escrever seu conteúdo ou contratar uma equipe especializada no assunto para lidar com essa demanda.

Como escolher a melhor maneira de fazer um site na internet?

Tendo em mente os critérios envolvidos quando o assunto é quanto custa fazer um site, o próximo passo se refere a entender como adquirir a solução correta para fazer tudo isso acontecer.

Na maioria dos casos, você tem tanto a opção de contratar profissionais individualmente quanto a de contar com os serviços de uma agência especializada. Ambas as possibilidades têm as suas vantagens e o que determinará a melhor escolha são as suas necessidades particulares.

Optar pelo caminho mais barato nem sempre é a melhor forma de trabalhar. Um site de má qualidade não ajudará você a alcançar os resultados que deseja e poderá até prejudicar a imagem da sua empresa junto ao seu público. Isso é bastante difícil de recuperar depois.

Saber quanto custa fazer um site não é o bastante. É necessário garantir a estrutura correta para as necessidades da sua empresa e o que o seu público precisa. Estar presente na internet é essencial para qualquer tipo de empresa, além de ser importante que essa presença tenha qualidade. Leve em conta os critérios que destacamos acima e tome a sua decisão.

Quer ajuda para colocar o site da sua empresa no ar com um custo que se encaixa no seu orçamento? Entre em contato conosco por meio do site.

Planejamento estratégico, tático e operacional: entenda as diferenças

Planejamento estratégico
Planejamento estratégico

Você conhece a distinção entre planejamento estratégico, tático e operacional? Esses são três recursos fundamentais para a sua empresa conseguir atingir os seus objetivos em qualquer área.

Planejar as suas ações com antecedência e monitorar os seus resultados é essencial para o seu sucesso. No entanto, é preciso saber a forma correta de fazer isso, senão, você corre o risco de não alcançar as suas metas e ainda prejudicar seus retornos.

Ao utilizar esse modelo, você poderá se certificar de que cada etapa do processo tenha a prioridade adequada. Será possível separar as grandes definições das menores e, assim, garantir que recebam a atenção necessária.

No artigo a seguir, você conhecerá mais a respeito das diferenças entre planejamento estratégico, tático e operacional e como elas são importantes para o seu sucesso.

Quais as diferenças entre planejamento estratégico, tático e operacional?

Tendo em vista a importância do planejamento para o sucesso de uma empresa, é importante entender os seus tipos para que seja possível atingir os seus objetivos e metas com excelência.

Confira, a seguir, as principais diferenças entre planejamento estratégico, tático e operacional:

Planejamento estratégico

O planejamento estratégico da sua empresa é a visão em longo prazo que ela tem dos próprios objetivos e envolve as decisões da alta administração do negócio, como a diretoria e os profissionais C-level.

Dessa forma, é um conceito fundamentado nos valores e na missão da corporação. Se ela não os tem, fica impossível realizar um planejamento estratégico, já que ela não mantém rumos claros.

Trata-se de uma visão para os próximos 5 a 10 anos da empresa. Por conta disso, não envolve o planejamento de iniciativas muito específicas, já que o período é bastante longo.

Planejamento tático

O planejamento tático tem um foco mais específico do que o estratégico, além de também ser a médio prazo. Em vez de se referir a toda a empresa, refere-se a um ou mais dos seus setores ou departamentos.

É nesse aspecto que começa a ser montada a estrutura para realizar a missão da empresa. São apontadas metas que contribuam para isso, além de se contar com processos focados em monitorar esses resultados ao longo do tempo.

Tendo como prazo entre 1 e 3 anos, o planejamento tático requer o desenvolvimento de ações específicas com foco em alcançar seus objetivos. Pode envolver tanto profissionais da alta administração quanto equipes de nível operacional.

Planejamento operacional

A partir das metas definidas no aspecto tático, cabe ao planejamento operacional desenvolver as ações necessárias para atingi-las. É nesse momento que se lida com as iniciativas mais concretas de todo esse processo.

Aqui, são envolvidos todos os níveis da empresa para garantir que a visão do planejamento estratégico seja cumprida e as diretrizes do aspecto tático correspondam ao que foi definido.

É o tipo de planejamento com menor duração, com seu período girando em torno de 3 a 6 meses. Isso é necessário para que sempre seja possível implementar ações rapidamente, mensurar seus resultados e aprimorá-las.

Quais os principais critérios que distinguem planejamento estratégico, tático e operacional?

Prazos

Um dos principais benefícios de utilizar esse modelo para elaborar a estratégia da sua empresa é que você passa a contar com múltiplas vias produtivas que funcionam de maneira paralela com ritmos diferentes.

O planejamento estratégico funciona mais a longo prazo, lidando com uma janela de tempo de 5 a 10 anos. Afinal, refere-se aos rumos da empresa no sentido macro. Já o tático lida com um timing de médio prazo, referindo-se a um período de 1 a 3 anos. Por fim, o operacional inclui planos de 3 a 6 meses.

Metodologia

Para ter sucesso em suas iniciativas, você precisa de uma metodologia eficaz que ajude a definir o que é importante para a sua empresa. Isso é fundamental para estabelecer objetivos e, assim, desenvolver seu planejamento estratégico, tático e operacional.

Existem diversas metodologias diferentes que ajudam nisso. Entre elas, estão o Business Model Canvas e o Balanced Scorecard. Para utilizá-las, é necessário ter em mente o papel da sua empresa no mercado e o que tem funcionado a seu favor e contra.

Objetivos

Assim como cada tipo de planejamento tem o seu timing, também tem proporções de objetivos diferentes. Isso ajuda a garantir que grandes metas tenham mais tempo para serem alcançadas, enquanto objetivos menores são atingidos rapidamente em ações do dia a dia.

O planejamento estratégico envolve os objetivos da empresa a nível macro, tendo como base a missão dela no mercado. O tático se refere à definição de metas que contribuam para que os objetivos maiores sejam alcançados. Já o operacional inclui o desenvolvimento de ações em seu menor nível, mas que contribuam para o todo.

Resultados

Os resultados de cada tipo de planejamento são condicionados pelos prazos. Ou seja, o planejamento estratégico requer mais tempo para trazer o grande progresso pretendido nele, assim como o operacional é capaz de gerar retornos menores rapidamente.

Como todos se complementam, a consequência disso é uma máquina produtiva que gera resultados de forma contínua a favor dos rumos pretendidos pela sua empresa. Basta reservar parte do tempo para monitorar seus resultados e certificar-se de que estejam dentro do esperado.

O que fazer em seguida?

O desenvolvimento de um planejamento estratégico, tático e operacional é algo essencial para o sucesso da sua empresa. Afinal, não é possível chegar aonde se deseja sem considerar muito bem cada ação que será desenvolvida com esse fim em mente.

No entanto, isso não significa que o seu trabalho termina por aí. Depois de planejar, chega a hora de colocar as ideias em prática. Você precisa garantir que os resultados pretendidos sejam alcançados por meio das ações implementadas.

Caso isso não aconteça, é preciso ter flexibilidade para enxergar possíveis ajustes a serem feitos na estratégia. Ao fazer isso, considere sempre o impacto de tudo nos três níveis para evitar sair do rumo estabelecido no início.

Essas informações ajudaram você? Então, compartilhe este artigo nas suas redes sociais para que os seus contatos também conheçam as particularidades do planejamento estratégico, tático e operacional. Já conhece nosso facebook, curta e compartilhe!

E-commerce e Mercado Livre: entenda essa relação em 6 perguntas

E-commerce e mercado livre
E-commerce e mercado livre

E-commerce e mercado livre, sua gestão não é fácil. Existem inúmeros fatores que impactam diretamente nos resultados finais do seu negócio. Marketing, vendas, design, tecnologia, enfim, são diversas áreas para se preocupar com o bom funcionamento. Caso alguma delas não esteja sendo bem executada, é provável que os seus resultados apresentem números pouco satisfatórios.

Continue lendo “E-commerce e Mercado Livre: entenda essa relação em 6 perguntas”

Blog para e-commerce e sua importância para todo o negócio!

Blog para e-commerce e sua importância para todo o negócio!
Blog para e-commerce e sua importância para todo o negócio!

Não existe novidade alguma em dizer que a maioria dos e-commerce do mercado não tem um blog. Seja ele um blog corporativo ou institucional.

Mesmo com a enorme quantidade de artigos falando sobre a respeito da importância de se investir na criação de um blog para e-commerce, muitos gestores e empreendedores ignoram este fato.

Todavia, já lhe aviso que este é  o principal e mais importante ponto se você quiser se destacar dos concorrentes!

Aqueles que acompanham as tendências de mercado conhecem todos os benefícios e a importância do blog, principalmente quando falamos sobre aumentar o tráfego e os leads.

Desta forma, existem inúmeras vantagens para quem acredita e investe nesta ferramenta, principalmente o e-commerce.

Pensando de forma racional, se a maioria dos seus concorrentes não realiza investimento em blog, esta é uma oportunidade competitiva para você, já que esta é a chance se destacar dos concorrentes.

Ainda não está convencido e tem dúvida se vale ou não investir seu tempo, o artigo abaixo mostrará as razões fundamentais sobre a importância do blog para e-commerce.

Bora lá?

 

O blog possibilita ser reconhecido nas mídias sociais

Caso você ainda não tenha um blog para e-commerce, é possível que o compartilhamento de conteúdos nas redes sociais não seja sua prioridade.

Mas, no momento em que você começa a usar o blog para comunicar conteúdo de qualidade, você estará no caminho certo do sucesso!

Desta forma, sua empresa será notada e seus conteúdos compartilhados em outras mídias sociais, gerando mais interessados, seguidores e no momento certo, leads para o seu e-commerce.

Não existe regra, mas evite postar sempre sobre o mesmo assunto.

Blog para e-commerce, o importante é entender sua persona saber o que gosta de ler ou compartilhar. Precisamos tornar isso uma vantagem competitiva.

Lembre-se de variar o formato dos conteúdos escritos. O blog precisa entender sua persona e apresentar conteúdo em infográficos, vídeos, e-books ou whitepapers ajudará nesta missão.

Criar uma boa estratégia e estar presente nas principais redes sociais é fundamental (Facebook, Twitter e Instagram)

 

O blog para e-commerce atrai tráfego

Simples assim!

A partir do momento que você produz um bom conteúdo para o blog do e-commerce, ele atrai atenção para o seu site. Claro que o SEO é importante, por isso, recomendo seguir algumas regras básicas.

A estratégia é clara. Conforme a produção de conteúdo para o blog do e-commerce for produzida, novos posts serão publicados, indexando novas páginas e assim, mostrando uma maior relevância para os buscadores (Google, Yahoo, Bing e etc).

O Google verifica o site de tempos em tempos, visando analisar e classificar o site nas pesquisas. Assim sendo, manter constância e periodicidade é importante.

A estratégia de conteúdo para o blog post precisa ser relevante, busque ajudar os leitores com seu conteúdo. Não é uma tarefa fácil, mas acredite no médio a longo prazo dará resultado!

Invista algum tempo realizando o link building (colocar links dentro dos próprios posts) do blog. O Google considera esta uma das principais na hora de avaliar e ranquear um site.

 

O blog transmite credibilidade e idoneidade da empresa

Isso mesmo, o blog pode transmitir toda a personalidade da sua empresa para a sua persona. Desta forma, o blog do e-commerce se mostra seguro, passa confiança para o leitor e melhora o engajamento do cliente com a empresa.

Tenha certeza de deixar ativo os comentários em todas as postagens, isso além de mostrar que você está interessado em ouvir seu leitores, incentivando-os a escreverem. Estes comentários podem ser utilizados por você no futuro para ideias na produção de conteúdos de interesse.

No geral, responda a todos comentários, positivos e principalmente os negativos. Seja claro e objetivo, desta forma, seu e-commerce será reconhecido por ser correto e sincero com todos.

 

O blog para e-commerce ajuda o público a comprar de você

Vamos supor que você executou diversas estratégias de tráfego e através disso, conseguiu atrair alguns visitantes para seu e-commerce, mas e agora? Quais os próximos passos?

Aqui é um momento de tomar muito cuidado, pois atrair o cliente não é fácil, você empenhou tempo e intelecto para criar oportunidades para isso, então não é hora de deixar esse lead em potencial desaparecer.

Um blog para e-commerce é a melhor ferramenta para que isso não aconteça!

O blog tem o poder de influenciar o cliente e por meio dos conteúdos, será possível melhorar seu “posicionamento” perante o cliente. Com seu conteúdo relevante, você passará de um simples e-commerce para um especialista do produto. Desde que você se proponha a fazer e faça bem!

Perceba, o público em geral está interessado em novidades, então focar em lançamentos, cases exclusivos pode ser uma boa.

Tenha em mente que o blog de e-commerce deve despertar o interesse, atração e consideração. Mostre autoridade sobre o assunto/produto que vende.

Demonstre interesse nos possíveis clientes, envie dicas que agreguem para eles ou o produto em questão a fim de incentivar eles a comprarem contigo.

 

O blog aumenta sua base de informações

Toda empresa quer mais leads, certo?! Nós queremos! rs

O primeiro passo é produzir e postar conteúdo relevante e de interesse das pessoas. Algo realmente valioso para eles e que os façam querer voltar para consumir mais e mais.

Depois de criar o blog é interessante disponibilizar o conteúdo produzido pelo e-commerce. Minha sugestão é que você viabilize assinaturas de lista de e-mail, a famosa Newsletter.

Dessa forma, você conseguirá atualizar a todos os integrantes da lista com os conteúdos mais atuais ou novidades relevantes, mantendo e com o tempo, aumentando a lista de inscritos.

Uma estratégia bastante aplicada, pois funciona, é a de oferecer um material rico, como um e-book, como isca digital. Além de engajar o cliente, você aumenta o fit dele com a marca, melhorando seu Branding.

Lembre-se de nunca enviar sequência de e-mails para pessoas não cadastradas em sua lista, evitando SPAM. Além de chato, isso diminui a chance de algum querer fazer negócio com seu e-commerce.

Trabalhe conteúdos ricos, objetivos e relevantes para o seu público. Com o tempo tudo vai se encaixando, o tráfego aumentando…acredite!

 

O blog para e-commerce faz sua marca atingir alcances maiores

Todo empreendedor monta um negócio com um objetivo, mas essencialmente todos tem um objetivo básico e primário, possuir clientes. Agora, como os clientes vão encontrar seu site ou sua marca?

Quando precisamos gerar tráfego, basicamente precisamos receber mais atenção. Quando trabalhamos com conteúdo, precisamos criar algo INCOMENSURÁVEL para o blog. Feito isso, podemos explorar os compartilhamentos nas redes sociais.

As pessoas gostam de compartilhar conteúdos que agreguem valor para elas e seu círculo de amigos. Título curiosos, listas e infográficos são os preferidos na hora de compartilhar.

Com o passar do tempo, mais e mais pessoas chegaram até o seu blog e conheceram o seu trabalho ou produto em questão. Mas para que isso aconteça lembre-se de produzir conteúdos INCOMENSURÁVEIS. Habilitar a opção de compartilhamento no blog do e-commerce é super recomendado também, rs!

Deixe que o seu cliente fale por você e assim convença outros a respeito do seu trabalho. O comentário autêntico de um cliente vale mais que suas 1.000 palavras!

 

E ai, o que você está esperando para começar a impactar seu público?

Com as dicas sobre a importância do blog para e-commerce, acredito que você esteja convencido e motivado. Essa estratégia, provavelmente conseguirá mudar os resultados atuais da sua empresa e construir uma base sólida de clientes e leads.

Principalmente quando estamos em um mercado cada dia mais competitivo, se diferenciar da concorrência e inovar é sempre necessário. Além de ser uma vantagem competitiva e forma adicional de se engajar com seu público.

Dúvidas ou sugestões sobre blog para e-commerce? Deixa lá seu comentário!


Conheça as tendências para o comércio eletrônico no Brasil em 2019

Comércio eletrônico, redes sociais e tendências para 2019
Comércio eletrônico, redes sociais e tendências para 2019

Comércio eletrônico, ferramentas  e baixo investimento para 2019

Falar sobre tendências e as novas ferramentas disponíveis para o comércio eletrônico é um papo do qual a maioria dos pequenos empresários fogem, achando que ainda não é o momento para eles.

Mas quem disse que todas elas são sinônimo de grandes investimentos? Além disso, saber os rumos que o mercado está tomando permite que os e-commerces saibam o posicionamento que devem escolher.

Estratégias de omnichannel, por exemplo, estão alavancando os resultados por meio da padronização da qualidade no atendimento dos canais. Um e-commerce pode promover mudanças em seus processos nesse sentido.

Quer saber quais são as tendências para o e-commerce no Brasil? Os que vão ditar as novas regras para o sucesso e melhores resultados? Confira a lista das apostas mais poderosas, seus benefícios e valores para o negócio.

Crescimento do comércio eletrônico automatizado

Também chamado a-commerce, tem como base a utilização da inteligência artificial para otimizar os processos. Então, a automação reduzirá os esforços humanos e dará mais precisão para as tomadas de decisão.

Nessa linha, os chatbots, que já funcionam em diversos e-commerces e outros tipos de serviços, são ótimos representantes. Eles têm diferentes configurações e aplicabilidades, que você confere a seguir.

Otimizadores

Continue lendo “Conheça as tendências para o comércio eletrônico no Brasil em 2019”

Como é o comportamento do cliente na loja online? Descubra aqui!

Como é o comportamento do consumidor
Como é o comportamento do consumidor

Personalização da experiência esta diretamente ligada ao comportamento do consumidor na loja online

Entender o comportamento do cliente não é uma tarefa fácil. Imagine, se um empresário soubesse que as pessoas estão deixando de se importar com o tempo, pararia de vender relógios? A resposta provavelmente seria negativa, o que o levaria à falência, mas criaria a necessidade de estudar o comportamento do consumidor para entender seus novos valores e necessidades, e depois, se adaptar a eles.

Aliás, para sermos realistas no exemplo, as pessoas estão, na verdade, valorizando ainda mais seu tempo. E é exatamente por isso que, antes mesmo de pensar em como tornar seu produto atraente, um e-commerce precisa ganhar a atenção do cliente e aproveitá-la com o máximo de eficiência.

E como isso é possível? Segundo a pesquisa Digital Intelligence Briefing realizada pela Adobe, focar a estratégia no cliente está no topo das soluções. As três principais respostas foram:

  • otimizar a experiência do consumidor (19%);
  • personalizar ações de marketing de acordo com o perfil do cliente (16%);
  • criar conteúdo relevante para as necessidades dos clientes (14%).

Quer saber como levar tudo isso para o universo das lojas online? Confira agora neste post alguns conceitos e estratégias de sucesso.

Qual o comportamento do consumidor de lojas online?

Continue lendo “Como é o comportamento do cliente na loja online? Descubra aqui!”

Estratégia de naming: veja como escolher nomes para lojas virtuais

Estratégia de naming: veja como escolher nomes para lojas virtuais

Nomes para lojas virtuais - Estratégia de Naming
Nomes para lojas virtuais – Estratégia de Naming

O nome da sua loja virtual influencia as vendas e o reconhecimento de mercado?

O nome sempre deve ser bem planejado, porque fortalece a estratégia de branding. Em outras palavras, esse critério tem tudo a ver com o posicionamento de mercado pretendido. Isso significa também que aumenta a capacidade de conquistar clientes e oportunidades. Em nível mais amplo, reforça um atributo principal e sustenta o sucesso do negócio.

Nesse sentido, como escolher o nome para sua loja virtual? Neste post listamos as principais estratégias de naming para você conhecer e aplicar agora mesmo. Quer saber quais são elas? Acompanhe!

Continue lendo “Estratégia de naming: veja como escolher nomes para lojas virtuais”

Análise da concorrência: identifique seus competidores diretos e indiretos

Análise da concorrência: identifique seus competidores diretos e indiretos

Análise da concorrência
Análise da concorrência

Como identificar concorrentes diretos e indiretos, como analisá-los, monitorá-los e o que aprender com eles.

Conquistar competitividade e se diferenciar no mercado são os desafios de todo empreendedor. No ambiente online, essa tarefa pode ser ainda mais difícil devido à grande quantidade de competidores diretos e indiretos. No entanto, uma boa análise da concorrência por meio do benchmark é o primeiro passo para alcançar seus objetivos.

O benchmark é uma estratégia que prevê avaliar, mensurar e comparar operações e ações executadas por empresas que são referência dentro e fora do seu mercado de atuação. Nesse processo, o propósito é identificar as melhores práticas que podem ser adaptadas para o seu negócio, a fim de aumentar as chances de sucesso.

Esse contexto considera também os concorrentes diretos e indiretos. Os primeiros são aqueles que oferecem produtos ou serviços iguais ao seu, desejam alcançar a mesma persona e o mesmo segmento de mercado. Um exemplo são duas agências de viagens.

Por sua vez, os concorrentes indiretos são aqueles que oferecem produtos ou serviços diversos, mas que são capazes de substituir os seus. No caso da agência de viagens, um exemplo seria a companhia aérea. Com essa explicação, ficou mais fácil entender a divergência de conceitos e como esses competidores impactam o seu negócio, certo?

A questão é: de que maneira é possível analisá-los, monitorá-los e identificá-los para potencializar seus ganhos e aprender com eles? É o que veremos neste artigo. Confira!

Comece a análise da concorrência pelas empresas mais influentes do mercado

Pouco adianta observar empresas que têm resultados parecidos com os seus. Para fazer o benchmark, o ideal é utilizar os melhores players do mercado, ou seja, aquelas organizações que são referência e consideradas vitoriosas em seu campo de atuação.

Essas companhias podem atuar ou não no mesmo nicho que o seu. Por exemplo, se você trabalha com venda de produtos, um bom parâmetro é avaliar o atendimento da Disney, que oferece exemplos relevantes nesse setor, especialmente no que se refere à oferta de uma experiência única.

Defina pontos fortes e fracos de cada concorrente

A análise da concorrência deve passar pela identificação de pontos positivos e negativos do negócio, porque é assim que você descobre quais estratégias de vendas surtiram efeito e aquelas que devem ser ignoradas. Para isso, considere os seguintes fatores:

  • qualidade, embalagem e performance do produto;
  • site do competidor, a partir de requisitos como usabilidade, responsividade etc.;
  • estratégias de marketing, com detalhes sobre qualidade das propagandas, divulgação, promoções e mais;
  • preço, inclusive condições de pagamento;
  • equipe de vendas, por exemplo, qualidade e quantidade de atendentes e cargos que lidam com os clientes de maneira direta;
  • aspectos logísticos, como é o caso de prazos de entrega, estratégias de distribuição, contratos com transportadoras, entre outros;
  • credibilidade do competidor, isto é, solidez da marca, tempo de atuação no mercado e mais quesitos.

Ao fazer a análise da concorrência, considere que os pontos fracos são determinados a partir do que a concorrência precisa aperfeiçoar. Por exemplo: imagine que um aspecto positivo seja a eficácia da equipe de vendas, que recebe muitos elogios. Quando há reclamações, esse critério se torna negativo.

Você pode utilizar os pontos de fragilidade da concorrência para se destacar — basta melhorá-los. É importante perceber que, boa parte das vezes, os aspectos positivos e negativos estão embasados na presença ou ausência de itens essenciais para o funcionamento do negócio.

Além disso, esses critérios costumam ser contornáveis. Por isso, vale a pena avaliar também a capacidade dos competidores de reagirem às oportunidades. A resposta pode ser favorável a você, se eles forem pouco flexíveis.


Utilize ferramentas para encontrar dados dos concorrentes

Utilizar ferramentas para a coleta de dados dos competidores é essencial para facilitar o processo. Por meio das informações, torna-se possível delinear o comportamento e o perfil dos negócios, com pontos positivos e negativos, parâmetros e outras condições relevantes.

Veja os recursos mais comuns e válidos para encontrar dados dos concorrentes!

Google Alerts

O Google Alerts monitora menções à sua marca e a concorrência, além de palavras-chave mais utilizadas. Pelas definições de termos e empresas de interesse, são gerados relatórios e estatísticas automáticos.

SocialMention

Trabalha em tempo real — e essa é uma das principais vantagens. O uso do SocialMention é simples, com a busca por nome da empresa, palavra-chave, termo ou produto. O site apresenta os resultados e permite mensurar a popularidade de companhias, eventos ou lançamentos em determinado período.

Google Trends

Utiliza gráficos para mostrar a frequência de pesquisa de palavras-chave e termos específicos. Com o Google Trends é possível delimitar idiomas e regiões para obter informações sobre comportamento do público e sua relação com a concorrência.

SEMRush

O SEMRush é ideal para focar a concorrência. A análise da concorrência é feita por palavra-chave e termos, sendo que é possível mensurar empresas e marcas a partir das palavras que geram tráfego para o site. A ferramenta também apresenta o valor médio de Custo por Clique (CPC), vocábulos indexados e quais são usados em links patrocinados.

Identifique o diferencial de cada um e compare com o seu

Toda empresa tem um diferencial competitivo — e encontrá-lo é essencial para saber em qual aspecto seu negócio é capaz de se destacar. Entre os fatores que contribuem para essa relevância estão: preço baixo, atendimento de qualidade, produto diferenciado, peso da marca etc.

Ao fazer essa comparação, fica mais fácil saber quais são as vantagens proporcionadas por uma empresa e qual é a valorização oferecida pelos consumidores a esses aspectos. Se você for incapaz de alcançar o mesmo preço, por exemplo, deve focar na qualidade do produto e/ou o atendimento. Outra possibilidade é a agilidade da entrega, que atrai a atenção de quem compra online.

Analise os cases de sucesso

Os exemplos de êxito da concorrência são boas alternativas para ter ideias para o seu negócio. Muitas vezes, essas iniciativas têm a ver com investimentos, mas boa parte delas também estão relacionadas ao aproveitamento de oportunidades e habilidades.

Verifique o que foi feito, os resultados atingidos e as ações executadas. Identifique os erros e acertos, bem como os ativos-chave que levaram aos resultados positivos. Veja quais são os diferenciais das empresas e analise o que elas parecem ser, além do que verdadeiramente são. Se possível, anote as informações em uma planilha, com os nomes dos concorrentes e quesitos essenciais.

Segmente as características do concorrente de acordo com alguns serviços

Além de todas as recomendações, vale a pena verificar alguns aspectos da concorrência a partir de serviços oferecidos, como:

  • atendimento;
  • ambiente físico ou virtual;
  • qualidade de produtos e serviços;
  • comunicação;
  • ticket médio, ou seja, o valor médio adquirido por cliente.

Ao fazer essa separação, você tem uma visão mais ampla e estratégica, que ajuda a identificar os pontos fortes e fracos. A comparação dos dados também facilita saber o que seu negócio precisa fazer para melhorar e alcançar um patamar mais elevado.

Todas essas ações ajudam a aprender com os concorrentes a partir do viés das melhores práticas, exemplos de sucesso e quesitos que fazem um negócio ser referência no mercado. No entanto, as atividades analisadas nunca devem ser copiadas, para evitar o risco de plágio.

A análise da concorrência sempre deve focar em atitudes que podem ser aperfeiçoadas e adequadas à sua marca. Assim, você não copia o que o outro está fazendo e garante os melhores resultados.

E você, já executa algumas dessas práticas na sua empresa? Identificou algo que precisa ser melhorado no seu negócio? Deixe seu comentário e compartilhe suas experiências!

2019 será o ano para estimular o crescimento econômico

Estimular o crescimento econômico
Estimular o crescimento econômico

Pesquisa aponta que 70% dos pequenos empreendedores acreditam que o próximo ano será melhor para os negócios

Estimular o crescimento econômico. Para os donos de pequenos negócios, 2018 não foi um bom ano. Mas, 70% dos empreendedores apostam que 2019 será melhor. É o que revela pesquisa “Expectativa para a economia e para a empresa”, feita pelo Sebrae entre agosto e outubro, com mais de 5.800 empreendedores.

Segundo a pesquisa, 46% dos entrevistados apontam o ano de 2018 como pior para a os negócios. Mas quando o assunto é o futuro, a maioria (67%) tem expectativa positiva e acreditam que 2019 será um ano melhor. Apenas 9,9% estão pessimistas e acham que próximo ano será pior.

Para 29,8% dos entrevistados o problema que mais prejudicou sua empresa em 2018 foi a corrupção, enquanto 19,7% dos empresários se queixaram da taxa de juros e 18,7% apontaram os elevados níveis de desemprego como o vilão para seus negócios. Os MEI foram os que mais reclamaram da falta de trabalho no setor, enquanto as empresas de pequeno porte (EPP) e microempresas (ME) citaram a corrupção e a recessão como principais problemas.

Estimular o crescimento econômico

Para 28,4% dos 5.870 empresários entrevistados, na maioria EPP e com maior grau de escolaridade, deve ser a principal preocupação do governo em 2019. Já o combate à inflação foi citado por 14,5% dos entrevistados e o corte de gastos por 15,1%.

As eleições deste ano também trouxeram otimismo para 41,8% dos empresários dos pequenos negócios, dos segmentos do Comércio, Indústria e Serviços, que acreditam que o pleito trará grandes mudanças no país.

Estratégias de negócios para 2019

A pesquisa, faz ainda avaliação sobre custos, mostrando que 29,7% dos entrevistados, principalmente EPPs e MEs, acreditam que os impostos e taxas representam o item que mais tem pressionado as empresas. Esse fator atinge os segmentos do Comércio, Indústria e Serviços. Já custos com mão-de-obra, matérias-primas e mercadorias, foram citados por pouco mais de 17,1% e 15,8% dos empresários, respectivamente. Nos três casos, o impacto maior é entre os Microempreendedores Individuais.

Dos empresários entrevistados, 67% pretendem adotar uma nova medida para estimular as vendas em 2019.Entre as possíveis estratégias para estimular o crescimento econômico, está aderir a ações de propaganda e marketing (38,5%). A proporção é maior entre os empresários mais escolarizados.

Conforme a pesquisa, 52,8% dos entrevistados pretende fazer algum investimento no seu negócio no próximo ano. Essa tendência é entre os mais escolarizados e mais jovens. Outros 51% tendem a modernizar seu empreendimento com novos produtos ou novos processos. Dentre as empresas que planejam fazer investimentos em 2019, pouco menos da metade (46,2%) pretende investir até R$ 20 mil nas inovações. Os MEI são aqueles que, em maior proporção, pretendem investir valores menores, de até R$10 mil.

Principais resultados da pesquisa:

• 26% dos empresários consideram que 2018 foi melhor que 2017.

• Empresários com ensino superior avaliam de forma mais positiva o desempenho da empresa em 2018, em comparação a 2017;
• 67% tem expectativa de que 2019 será melhor que 2018.
• 29,7% dos entrevistados acreditam que a principal preocupação do governo em 2019 deveria ser estimular o crescimento econômico;
• 67% dos empresários pretendem adotar uma nova medida para estimular as vendas em 2019. Dos entrevistados, 52,8% pretende fazer algum investimento no seu negócio no próximo ano.

Veja matéria completa em =>  http://www.agenciasebrae.com.br/sites/asn/uf/NA/sete-em-cada-10-pequenos-empreendedores-acreditam-que-2019-sera-melhor-para-os-negocios,d379111e58217610VgnVCM1000004c00210aRCRD

3 sinais de que o seu site profissional precisa ser renovado

3 sinais de que o seu site profissional precisa ser renovado

Criar Site profissional ou renovar site profissional
Criar Site profissional ou renovar site profissional

Criar um site profissional é a chave para o seu negócio decolar!

Site profissional. Você já trabalha com a venda online de produtos, mas seu site profissional pode ser melhorado. Com um faturamento estável, chegou o momento de tomar essa decisão, que deve ser bem pensada e consciente — afinal, o investimento precisa valer a pena.

Por isso, o primeiro passo é refletir sobre quais são seus objetivos ao manter o site. Por exemplo: aumentar as vendas, oferecer um atendimento diferenciado, trazer autoridade para a marca etc. Essa análise é a base para uma possível renovação, porque é a partir dela que você identifica as oportunidades que está perdendo.

Para ajudar na sua reflexão, listamos, neste post, 3 sinais que indicam que você precisa renovar o seu site. Além disso, entenderá por que vale a pena profissionalizá-lo ainda mais e qual é o potencial de retorno que essa medida traz para o seu negócio. Vamos lá?

3 sinais de que é preciso renovar o site da sua empresa

Ter um site profissional é uma forma eficiente de ganhar credibilidade e aumentar sua presença online. Para um negócio baseado na internet, esses dois fatores são altamente estratégicos e oferecem vantagem competitiva.

Continue lendo “3 sinais de que o seu site profissional precisa ser renovado”