E-commerce é protagonista da nova série da NetFlix

Conheça a história da loja Nasty Gal

Nesta sexta-feira (21) estreou GirlBoss, a nova série da Netflix que  conta a história de Sophia Amoruso, criadora da Nasty Gal, loja de  e-commerce mundialmente conhecida pelas fashionistas.

Antes de construir seu império da moda, Amoruso comia pão do lixo, roubava objetos e trabalhava em empregos com baixos salários. Cansada da sua situação decidiu abrir a loja para pagar o aluguel.

A empreendedora começou em 2006 vendendo roupas customizadas no Ebay. Ebay é uma plataforma de negociações com modelo de negócio marketplace fundada nos EUA. Alguns sites encontrados no Brasil semelhantes são: Mercado Livre, OLX, Bom Negócio.

Com o crescimento da sua loja no Ebay, a empreendedora decidiu abrir sua própria loja online e alavancou suas vendas online.

Atualmente a Nasty Gal fatura mais de U$100 milhões e atende consumidores em 150 países. São mais de 350 funcionários divididos entre a loja virtual e 2 lojas físicas situadas em pontos disputados de Los Angeles. As lojas são visitadas por celebridades como Lena Dunham e Kendall Jenner.

Além da série, Sophia Amoruso escreveu a autobiografia #Girlboss em 2014 e também montou a Girlboss Foundation, que ajuda e divulga iniciativas de mulheres inovadoras pelo mundo.
Conheça a Nasty Gal

Quer começar um comércio online? Conheça nossas soluções

 

Confira os 10 melhores produtos para vender online

Quer criar um e-commerce e não sabe qual setor investir?

As lojas virtuais estão crescendo no Brasil. O e-commerce é um setor que cresce em meio a crise econômica do país. Mas qual são os produtos mais procurados no ambiente virtual?

A EBIT realizou uma pesquisa e apontou quais são os 10 produtos que mais vende online.

Veja quais são:

1- Eletrodomésticos

2- Smartphones

3- Eletrônicos

4- Suprimentos de Informática

5- Casa e Decoração

6- Roupas e Acessórios

7- Cosméticos

8- Livros

9- Acessórios Automotivos

10- Artigos Esportivos

Pronto para começar sua loja virtual de sucesso? Conheça nosso serviços

 

7 tendências para seu e-commerce sair na frente

Descubra como deixar seu e-commerce mais lucrativo

A crise não diminuiu o crescimento do comércio online. O e-commerce cresceu 11% em relação ao ano anterior, movimentando R$ 53,4 milhões. Acompanhar as tendências de mercado e criar melhorias é um passo importante para manter-se a frente de concorrentes cada vez mais presentes.

Confira abaixo:

1- O cliente em primeiro lugar

Além da comodidade e conveniência, as lojas virtuais precisam se preocupar com a experiência do usuário, cada vez mais exigente. Uma loja precisa transmitir segurança, boa experiência de compra, ofertas relevantes e atendimento personalizado.

2- Mensure e analise sempre

Uma das vantagens do e-commerce é a possibilidade de testar e ver o que dá certo e o que não funciona. A mensuração fornece uma visão aprofundada e maior alcance sobre o comportamento do cliente dentro da loja, possibilitando conversões maiores.

3- Atendimento ao cliente mais próximo e interações em tempo real

Um atendimento personalizado e humanizado atrai mais clientes a realizarem uma compra na sua loja. Um exemplo são ferramentas de chat online, redes sociais, SMS e newsletter. Outro fator é interações que podem ser feitas diretamente como: citar nominalmente o cliente no blog, interações em redes sociais, otimizar interação da loja, etc.

4- Crescimento do mobile

Uma loja responsiva (que se adapta no celular) é cada vez mais importante com o aumento do uso de celular para compras online. Quem investir no e-commerce mobile e focar no atendimento diferenciado conseguirá crescer neste mercado.

5- Venda via redes sociais

É possível vender mais através das redes sociais. É preciso engajamento, criatividade e presença da empresa. Para isso, é preciso mensurar, testar e analisar o que está funcionando nas suas redes sociais e o que pode melhorar.

6- Cuidado com as entregas no mesmo dia

Muitos clientes gostam de receber o item rapidamente, mas é preciso verificar se esta é a melhor opção para seu público-alvo e se sua atual estrutura consegue oferecer a opção.

7- Small Data é tendência estratégica

A Small Data ganha traz espaço para insights e ideias exclusivas. A estratégia constitui em avaliar o consumidor de perto durante toda a sua rotina. O método proporciona a visão para novas inovações que o cliente poderia utilizar para facilitar no seu dia a dia.

Quer ter uma loja profissional? Conheça nossos planos!

#Tutorial: 4 dicas de ouro para a capa da sua loja

Saiba como a imagem pode te ajudar a vender mais

Banner principal é a imagem em destaque do seu site. Seria o outdoor da sua loja, e por isso é muito importante na hora de vender.

O banner principal é a capa da sua loja. É importante que mostre o que sua loja quer passar ao consumidor: segurança, profissionalismo e bom gosto.
Confira nossas 5 dicas para criar o banner perfeito:

1- Escolha imagens de boa qualidade

Continue lendo “#Tutorial: 4 dicas de ouro para a capa da sua loja”

Jacques Janine é a nova loja criada pela Seri.e

Conheça a história da primeira rede de salões de beleza da América Latina

A nova loja criada pela Seri.e Design é a do salão Jacques Janine. O salão criado por Jacques e Janine Goossens está no mercado de beleza há 59 anos, e é conhecido pelo pioneirismo na área de estética e maquiagem social. São mais de 60 unidades espalhadas por todo o Brasil e uma instalada na Flórida, Estados Unidos.

Continue lendo “Jacques Janine é a nova loja criada pela Seri.e”

E-commerce atinge a meta em 2016

E a espera para 2017 é um crescimento ainda maior

O e-commerce conseguiu um crescimento de 8% em 2016 e atingiu a meta em meio a crise. Ainda é pequeno, mas a tendência é o crescimento de vendas para os próximos anos.

Os segmentos mais em alta no ecommerce são: acessórios automotivos (pneus e equipamentos de som) e decoração de casa.

O e-commerce enfrentou bem a crise em 2016. O crescimento foi o esperado. Para o ano que vem, a tendência é de recuperação e aumento do faturamento.

Continue lendo “E-commerce atinge a meta em 2016”

8 Dicas que você precisa ler antes de abrir sua loja virtual

Selecionamos os melhores conselhos para quem está pensando em abrir uma loja virtual

1- Tenha um nome criativo e que mostre com clareza o que sua empresa irá oferecer.

6 Motivos para abrir uma loja virtual

Nos próximos anos, o varejo virtual aumentará de 3% para 6% do varejo total

Dados da Euromonitor International prevê que no Brasil, a paticipação das vendas online em 2019 será de 4.3% do total de vendas no país, atingindo U$ 19.1 bilhões.
Nos Estados Unidos e em alguns países Europeus e Asiáticos, as vendas online já são de 9%. Segundo o Ebit, a participação das lojas virtuais brasileiras já são mais de R$ 41 Bilhões em vendas anuais.
Motivos para abrir uma loja virtual:
1- Crescimento do setor e previsão de aumento nos próximos anos

Não fique para trás! O aumento das lojas virtuais já é estimativa econômica.

2- A praticidade de fazer compras online

As pessoas buscam praticidade no dia a dia. Segundo estudos do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), 33% dos compradores reconhecem a economia de tempo uma grande vantagem das compras online.

3- Comprar pela internet está mais seguro

Antigamente as pessoas tinham receio de comprar virtualmente, mas essa percepção mudou. Estudos apontam que numa escala de zero a dez, o índice médio de satisfação do consumidor brasileiro com as compras online é de 9.3
4- É fácil pesquisar e comprar os preços

Uma das vantagens do e-commerce é comparar preços e lojas dentro de casa.

5- O número de pessoas conectadas aumentou no Brasil

Segundo o IBGE, 50% das casas brasileiras tem internet.

6- Crescimento de smartphones com acesso a internet

Pesquisas revelam que há mais linhas de celulares que pessoas no mundo! O crescimento do aparelho contribui para o aumento de usuários online.

92% dos usuários que visitam pela primeira vez desistem da compra se o site não parecer confiável

98% desistem se falta alguma informação no site

De acordo com o relatório “Reimagining Commerce”, 45% dos visitantes entram em um e-commerce (site online de vendas) em busca de produtos ou serviços que a loja oferece e outros 25% estão comparando preços. Uma entre dez pessoas que estão procurando detalhes da loja.

A experiência do usuário também é importante na hora da compra. Um terço dos usuários entram através de dispositivos, o que demonstra a importância do site adaptado para celular. Eles levam em consideração desde a navegação até o checkout, e deixam de comprar se houver problema em alguma etapa. Na hora da venda, o usuário busca conteúdo relevante, customizado e simples.

Os relatórios apresentam também que cerca de 91% dos entrevistados pretendem realizar mais compras online. Mas o conteúdo básico, não será mais bem visto aos consumidores online, que estão cada vez mais exigentes.

7 tendências do varejo on-line para 2017

ecommerce-seriedesign

O varejo on-line vem construindo um futuro promissor. Para se ter uma ideia das tendências para o próximo ano, considere que, somente no estado de São Paulo, o e-commerce registrou um faturamento real de R$ 3,4 bilhões no segundo trimestre de 2016! Esse resultado foi atingido em apenas 3 meses, em plena crise econômica e em apenas um estado da federação.Com a conquista de cada vez mais espaço no faturamento total do mercado, novos empreendimentos on-line surgem diariamente, na expectativa de abocanhar uma fatia desse bolo. Para se manter competitivo, é essencial acompanhar e implementar com rapidez as tendências que referenciam e criam linhas de base para o varejo on-line como um todo. Novas tecnologias têm contribuído para que clientes tenham experiências mais ricas, e, varejistas, melhor rentabilidade.Sendo assim, apresentamos sete tendências do varejo on-line para 2017, para você acompanhar de perto e sair na frente da concorrência. Confira!

1. Análises serão feitas em tempo real

Análise em tempo real é uma das mais pertinentes tendências para 2017, pois fornece uma visão mais profunda e de maior alcance sobre conversões e comportamento do cliente.Liderando as mudanças, há um nome que muitos varejistas on-line já conhecem: kissmetrics. Esse software permite rastrear todos os canais de vendas e fontes de conversão possíveis, seguindo-os da sua origem até o resultado final.Por meio da análise em tempo real, você poderá acompanhar cada ponto de conversão possível, porque softwares como esse (e outras soluções afim, como Mixpanel e Hubspot) irão mantê-lo informado de cada interação.Em seguida, você estará apto a usar essas informações para melhor entender o comportamento de compra dos seus clientes e realizar as alterações necessárias para gerar melhores conversões.

2. Atendimento ao cliente será live-action

Outra tendência muito discutida é a interação ao vivo com os clientes. Deve-se considerar, entretanto, que há clientes mais e menos engajados e dispostos a aprofundar o relacionamento com sua empresa e marca.Obviamente, quanto mais engajado estiver o cliente, maiores são as chances de interagirem e realizarem compras. Ou seja, sua empresa e marca se beneficiam quanto mais interativa for sua relação com o consumidor. Para engajá-lo e aproveitar essa tendência, há certas ações que você pode realizar:

  • Citar nominalmente os clientes no seu blog para incentivar a repetição de visitas e a interação;
  • Responder às suas perguntas por meio de vídeos ou blog posts;
  • Atualizá-los por e-mail ou newsletter;
  • Postar conteúdos valiosos com frequência para mantê-los informados;
  • Otimizar a interação com o cliente nos seus projetos de e-commerce;
  • Priorizar os clientes mais fiéis na destinação de ofertas especiais.

Além disso, você poderá incorporar softwares de atendimento ao cliente, como o Zendesk. Por meio dessa solução, é possível envolver ativamente os clientes ao permitir que façam perguntas em um sistema que integra chat on-line, redes sociais, chamadas telefônicas, sms, etc. Os relatórios criados permitirão à sua equipe de atendimento ao cliente responder em tempo real. Além disso, oferece suporte live-chat para qualquer cliente durante o processo de compra. Isso é muito útil para atender àquele consumidor que ainda não está acostumado ou se sinta inseguro ao realizar compras on-line.

3. O uso de dispositivos móveis atingirá novas alturas

Cada vez mais, as pessoas estão utilizando smartphones e tablets para efetuar compras on-line. Porém, todo o potencial que esse novo mercado abre, está, ainda, longe de ser explorado satisfatoriamente. Os smartphones servirão de catalisadores para levar as empresas a uma nova era, na qual todo o foco estará voltado para a satisfação do cliente. Toda empresa que queira sobreviver no século XXI deverá investir em plataformas de e-commerce que estimulem a aproximação dos consumidores.Já podemos ver, no dia a dia, os primeiros passos dessa transição, na qual a maioria das vendas – mesmo de lojas exclusivamente físicas – é processada digitalmente!

4. As compras on-line serão o novo status quo

À medida que varejistas on-line começam a perceber que os clientes gostam de visitar a loja física, mas desejam a conveniência e comodidade oferecidas pelas compras on-line, passarão a realizar ações no sentido de individualizar, cada vez mais, a experiência de compra nas suas lojas virtuais. Além do suporte interativo, os clientes poderão se comunicar diretamente com assistentes de venda para terem suas dúvidas sanadas, além de obterem respostas em tempo real para suas dúvidas e comentários.

5. Vendas serão ancoradas nas redes sociais

Soluções como o Soldsie permitirão que você obtenha valiosas referências de alta conversão a partir de redes sociais, ajudando-o a melhorar suas taxas de CTR e ROI. Outra solução que promete entrar cada vez mais no mercado brasileiro (competidor direto do Soldsie) é o Curalate. Ele permite aos usuários mensurar as conversões originadas a partir de plataformas mais visuais, como o Instagram e o Pinterest. Seus algoritmos são capazes de identificar as imagens e quantificar a presença da sua empresa nessas redes, além de poder descobrir quem são os usuários mais ativos e comparar seu desempenho com o dos concorrentes.

6. As entregas no mesmo dia da compra estabelecerão um novo padrão

Muitas empresas já perceberam que a maioria dos consumidores adoraria poder receber o produto que comprou on-line no mesmo dia, ainda que tenha que pagar um pouco mais por isso. No entanto, vá com calma: analise seu público-alvo, suas demandas e a sua atual infraestrutura de entrega. Se for possível realizar um investimento para oferecer esse diferencial, realmente valerá a pena. Caso contrário, considere realizar essa opção a longo prazo. Seja como for, certamente representará uma vantagem competitiva para sua empresa!

7. Big Data e Small Data serão tendências do varejo para estratégia

O Big Data é um conceito bastante difundido nos últimos anos e contribuiu de modo relevante para o desenvolvimento de novas maneiras de comercializar e se comunicar com clientes on-line. Isso é possível a partir da coleta de dados dos consumidores em larga escala, viabilizando a criação de uma abordagem mais eficiente. Seu foco é mais quantitativo e estabelece bases para o desenvolvimento de estratégias de alto impacto.

Já o Small Data concentra-se nos pequenos detalhes. É resultado do garimpo minucioso das informações do Big Data, com o objetivo de captar percepções dos clientes, entender como eles pensam e suas motivações intrínsecas. O foco do Small Data é qualitativo e visa obter insights que o Big Data por si só não é capaz, além de garantir às empresas que o colocarem em prática percepções únicas dos seus clientes, que nenhuma outra descobriu ainda. Tudo isso deve ser levado em consideração para que sua empresa esteja sempre à altura de clientes cada vez mais bem informados e exigentes. Ao lado dessas 7 tendências do varejo on-line, não podemos esquecer aquela que é válida para todos os anos: a única constância em tecnologia (e na vida, de modo geral) é a mudança. Então, esteja sempre preparado para ela!

Gostou de conhecer as principais tendências para 2017?

Temos muito mais para lhe oferecer, entre em contato agora!

Fonte: EZ Commerce